Chuchu

  • Seguro Mapfre Granizo
    Seguro Mapfre Granizo de Chuchu
    Cobertura de desvalorização por perda de qualidade dos frutos causada por Granizo
     
    Garantia e Vigência
    O seguro garante ao produtor de Chuchu o pagamento de indenização se houver a perda de produção decorrente da morte de plantas e/ou por danos à área foliar das plantas e perda de qualidade por dano direto ao fruto, perdas estas decorrentes exclusivamente de Granizo.
    A cobertura do seguro abrangerá, também, até o LMI da apólice, as despesas de salvamento comprovadamente efetuadas pelo segurado durante e/ou após a ocorrência de um sinistro; e os valores referentes aos danos materiais comprovadamente causados pelo segurado e/ou por terceiros na tentativa de evitar o sinistro, minorar o dano ou salvar a coisa.
     
    O seguro começa e termina às 24 horas das datas informadas na apólice. Para proposta com pagamento total ou parcial do prêmio, o início será a data da recepção da proposta pela seguradora; proposta não acompanhada de pagamento terá início após a aceitação da seguradora.
    O término de vigência deste seguro dar-se-á em 365 dias após o plantio, última poda ou no momento da colheita dos frutos, respeitado o prazo máximo de vigência estipulado na apólice. Se a cultura possibilitar mais de uma colheita dentro do mesmo ciclo de produção, a vigência do seguro se estenderá para as outras colheitas, respeitados o prazo máximo de vigência. 
    O período de carência para a validade da cobertura será de 2 dias completos, contados do início de vigência do seguro. Esse período será prorrogado: para as lavouras transplantadas, até o transplante das plantas; para as lavouras não transplantadas, até que 60 % das plantas tenham emergido; para as lavouras contratadas após o plantio ou transplante, a carência será de 2 dias contados a partir do início de vigência do seguro, desde que 60% das plantas tenham emergido. 
     
    Limites da garantia
    O valor máximo a ser pago pela seguradora no caso de indenização integral da cultura, por  uma ou série de ocorrências de granizo durante a vigência da apólice é o Limite Máximo de Indenização (LMI), cujo cálculo é resultante da multiplicação da Área plantada (ha) pela Produtividade esperada (kg/ha) e pelo Valor da produção (R$/kg).
    O valor da indenização não poderá ultrapassar o valor do objeto ou do interesse segurado no momento do sinistro.  O LMI deverá ser calculado também para cada talhão.
     
    Não será aplicada franquia dedutível em caso de perda total na área total do talhão sinistrado. Ocorrendo sinistro de perda parcial em determinado talhão, no cálculo da apuração da indenização devida será descontada do valor do prejuízo sofrido a Franquia estipulada na apólice para o mesmo. Essa dedução ocorrerá uma única vez, seja qual for o número de sinistros ocorridos. O valor da franquia será deduzido do valor final do prejuízo aferido na unidade segurada em todo e qualquer sinistro ocorrido.  A seguradora indenizará o valor do prejuízo excedente ao da Franquia, cujo percentual é aplicado sobre o LMI do talhão sinistrado.
     
    Sinistro
    O produtor rural avisará de imediato a ocorrência de qualquer evento que possa vir a se caracterizar como um sinistro indenizável ou não, contendo todas as informações que permitam caracterizar os prejuízos ocorridos, devendo tomar todas as providências que estiverem ao seu alcance, a fim de minorar as consequências do evento. O não cumprimento dessas obrigações poderá acarretar ao segurado a perda do direito à indenização. O produtor aguardará por até 15 dias a chegada do perito da seguradora e somente poderá realizar toaletes, podar, recepar, erradicar, replantar ou colher a área sinistrada após a realização pela seguradora do Laudo de Inspeção de Danos.
     
    A seguradora enviará peritos ao local sinistrado após o recebimento do Aviso de Sinistro para a confirmação do evento e para efetuar a vistoria e a regulação de sinistro. Serão apuradas causas e consequências do evento, levantados os prejuízos dele decorrentes, e estimada a data de início de colheita para o agendamento da regulação e elaboração do laudo final. A seguradora se baseará nos dados constantes dos Laudos de Inspeção de Danos que deverão conter obrigatoriamente os seguintes elementos: área total da plantação segurada e área sinistrada; croqui detalhado indicando a localização dos talhões, com a área existente e a área sinistrada; percentual do prejuízo apurado; d) estágio de desenvolvimento da cultura na data do sinistro; e produção antes ou durante a colheita, quando for o caso.
     
    Serão realizadas, ao menos, 2 vistorias de sinistro:
    Vistoria Preliminar (constatação de evento) – Destina-se a uma verificação inicial dos efeitos do evento sobre o bem segurado. O vistoriador verificará a intensidade e possível efeito do Granizo sobre o bem segurado e elaborará o laudo preliminar de inspeção de danos. Será também estimada a data de início de colheita para fins de agendamento da regulação do sinistro.
    Vistoria Final (regulação) - Destina-se à determinação do percentual de perda ocasionado ao bem segurado em função do evento previamente constatado.
    Ocorrendo sinistro com pagamento de indenização integral, a seguradora efetuará um único Laudo de Inspeção de Danos.
    No caso de sinistros com pagamento de indenização parcial, a seguradora efetuará, durante a fase de frutificação, um laudo preliminar de constatação da ocorrência do sinistro e a prévia quantificação dos danos, e um laudo final para apuração percentual das perdas ocorridas decorrentes de evento coberto.
    Sinistros ocorridos durante a colheita serão apreciados se forem mantidas intactas as áreas atingidas. Antes ou durante a colheita será feita a vistoria final e elaborado o laudo de regulação, quando o perito da seguradora apresentará sua conclusão sobre o valor dos prejuízos a indenizar. A perda será calculada sobre a produção restante, quando a seguradora fará uma estimativa percentual de produção por amostragem do que falta colher da lavoura sinistrada.
     
    Apuração dos prejuízos
    Será identificado o estádio em que se encontra a cultura e serão realizadas amostragens para levantamento do dano direto aos frutos, da redução da população de plantas e danos de desfolhamento. Esta última será convertida em perda de produção, relacionando a perda física com a perda de produtividade. Em caso de sinistro durante a colheita, a perda será calculada sobre a produção restante, quando a seguradora fará uma estimativa de produção por amostragem do que faltar para ser colhido da lavoura sinistrada.
     
    Indenização
    A indenização será calculada para cada talhão e somada para efeito do cálculo do valor total a indenizar, conforme a fórmula:
     
    Indenização = (Área do talhão sinistrado, em ha, em que houve morte de grande parte das plantas em decorrência de Granizo, ou seja, sem condução da lavoura até o fim do ciclo de produção X % de gastos estimados, definidos de acordo com a cultura e estágio de desenvolvimento da planta) + (Área da gleba sinistrada, em ha, em que não houve morte das plantas em decorrência do Granizo, ou seja, com condução da lavoura até o fim do ciclo de produção, com potencial perda de produtividade esperada). X (% de Prejuízo, ou seja, totalização dos danos diretos à planta em todas as suas estruturas, causados por Granizo e apurados e quantificados percentualmente) + (Período em que a planta ficará sem produção, devido à ocorrência do granizo (em meses) X (% da área total da gleba sinistrada que foi, de fato, atingida pelo granizo) X (LMI total da gleba sinistrada, em R$/12) (Área total da gleba sinistrada, em ha) (Franquia Dedutível do talhão sinistrado, em %/12) x (Período em que a planta ficará sem produção, devido à ocorrência de granizo, em meses)
     
    Se constatado em laudo por perito da seguradora que a condução da lavoura na área sinistrada tornou-se inviável tecnicamente, as despesas previstas e não efetuadas até a data do sinistro serão deduzidas da indenização total, adotando-se os percentuais de gastos efetivos estádio de desenvolvimento conforme abaixo:
     
    1º estádio - até 30 dias: Dedução de até 35% das despesas previstas e não efetuadas até a data do sinistro.
    2º estádio - de 31 até 90 dias: Dedução até 65% das despesas previstas e não efetuadas até a data do sinistro.
    3º estádio – de 91 até 210 dias: Dedução até 85% das despesas previstas e não efetuadas até a data do sinistro.
    4º estádio – acima de 210 dias: Dedução até 100% das despesas previstas e não efetuadas até a data do sinistro.
     
    Fixada a indenização devida e obedecendo-se o LMI definido na apólice, a seguradora efetuará o pagamento da importância a que estiver obrigada no prazo máximo de 30 dias contados a partir da entrega de todos os documentos necessários.
     
    Condições Gerais e/ou Especiais do seguro
    Esta é uma descrição resumida do seguro. O texto integral das Condições Gerais e/ou Especiais da apólice (Seguro Granizo, Processo SUSEP nº 15414.002783/2004-11, da MAPFRE VERA CRUZ Seguradora S.A.), que regulam direitos e obrigações do segurado e da seguradora, incluindo bens, riscos, circunstâncias ou eventos não segurados, serão enviadas aos proponentes no momento da contratação do seguro.  
    Solicite Formulário de Cotação